sexta-feira, 7 de março de 2014

[Resenha]: O Mago de Camelot - Marcelo Hipólito

Olá leitores, hoje o livro resenhado é "O Mago de Camelot", A saga de Merlin para coroar um Dragão do autor parceiro Marcelo Hipólito.

Confira:


Editora: Novo Século
Número de páginas: 151
Ano de Lançamento: 2013
Classificação: ♥ ♥ ♥   


Sinopse

De uma infância pobre e sofrida à irresistível ascensão aos salões dos grandes reis; de um começo sem esperanças ao despertar de um poder inigualável, invejado e temido, Merlin,  é levado a se tornar o homem mais influente da Idade das Trevas. Confidente supremo do rei Artur e maior conselheiro da corte de Camelot.  Misterioso e enigmático. Amado e odiado. Druida, monge e mago.

Na Britânia do Século V da Era Cristã – abandonada pela queda do Império Romano à barbárie dos invasores saxões –, Merlin surge para impor um novo tipo de rei a um povo abatido e desesperado, alterando, para sempre, não apenas o destino dos britânicos, mas de toda a humanidade.
A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça numa terra devastada pelo caos e a guerra em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia.



Logo no começo do livro o leitor é levado a Britânia do século III. Em meio a guerras, conquistas e traições. A história tem inicio com Constantino e seus filhos Aurelius e Uther tentando conter uma invasão saxônica.

Uther é o tipico guerreiro que tem sede de vitórias, para ele tudo se resolve na base da força deixando de lado as estratégias. Finalmente poderia haver paz, porém Uther acaba cobiçando a mulher de um de seus aliados, Merlin o ajuda, então ele finalmen
te consegue a mulher que tanto deseja, porém a ajuda do mago tem um preço.

Merlin é apresentada ainda criança, conhecemos a infância sofrida dele e como conheceu Blaise, o druída que viria ser o seu mestre. 
O livro foca principalmente  a vida de Merlim, mas ao decorrer do livro conhecemos muitos outros personagens.

Todos tinhas um grande medo  do poder dos druídas, até os reis, que sempre respeitavam seus conselhos e acreditavam no poder de suas revelações sobre o futuro que eram vista através do sangue de um sacrifício 
(humano ou não) a natureza.

Merlin decidiu criar  Artur para ser um rei justo, preocupado com o povo, Artur foi criado para a guerra da forma mais bruta possível, passando assim por um duro treinamento.


O que eu realmente não gostei no livro foram os nomes e lugares, que são muito diferentes e difíceis com isso eu acabei me confundindo muito e me perdendo as vezes, tendo que voltar um capítulos ou dois. 

As historias são bem dinâmicas e algumas bem resumidas o autor poderia ter se aprofundado mais, mesmo assim eu gostei do livro sendo um estilo diferente do que eu estou acostumada saindo assim da minha zona de conforto.

A escrita do autor é bem complexa ( algumas vezes eu tive que consultar o querido dicionario) e se encaixa perfeitamente com a época que se passa a historia, a capa é realmente linda e o livro em si é bem curtinho com suas 151 páginas.

Eu gostei e recomendo o livro para os fãs do famoso Mago Merlin.