quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

[Resenha]: Prince of Thorns - Mark Lawrence

Olá leitores, a resenha hoje é de "Prince of Thorns"  primeiro livro da "Trilogia dos Espinhos" do autor Mark Lawrence

Confira:



Prince of Thorns


Editora: DarkSide Books
Ano de lançamento2013
Numero de páginas: 360
Minha Avaliação: ♥ ♥   

Sinopse:
Tem início a Trilogia dos Espinhos: Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de o seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família, nem tampouco fugir do horror. Jogado à sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.


Originalmente, a trilogia se chama "The Broken Empire" e é composta por "Prince of Thorns" (2011), "King of Thorns" (2012) e "Emperor of Thorns" (2013). Pelos nomes já dá para perceber que Jorg vai ser muita coisa ainda.

Quando criança, o pequeno Príncipe Honório Jorg Ancrath passeava com sua mãe, a rainha e seu irmão quando eles são atacados e brutalmente assassinados a mando de um rei de outro lugar. 

Enquanto sua mãe era estuprada e seu irmão assassinado, Jorg foi jogado em um arbusto de roseira-brava, ficando preso em seus espinhos sem conseguir ajudar sua família; com a tentativa de sair do meio da roseira os espinhos rasgaram sua pele até os ossos. 

Após sua longa e díficil recuperação Jorg descobre que seu Pai, o rei não vingou a morte de sua mãe e de seu irmão, ele apenas fez um tratado de paz com o outro reino. Indignado com a omissão do pai sai ele resolve criar um exercito de renegados e fugir de casa em busca de vingança; e ele faz tudo isso com apenas 10 anos de idade.

"Diga-me tutor. A vingança é uma ciência ou uma arte?"
                                                                                         Jorg

Esperava muito mais desse livro, sua premissa é realmente ótima, porém o enredo não é nada disso, achei a historia fraca e que sem dúvidas se perdeu no meio do caminho. O livro poderia ter 100 páginas e a historia seria a mesma.

Os personagens não tem profundidade e são mal desenvolvidos, o personagem principal, Jorg muito menos, ele é vazio, age sem pensar e sem prever as consequências O enredo se baseia na vingança dele até ai ok, o problema está em como o autor desenvolveu a execução dessa vingança ao longo do livro. A trama é fragmentada e vazia, você lê e lê e a historia não avança, só há morte, sangue e o ódio de Jorg.

Os acontecimentos são rápidos e sem substância, um livro que não me acrescentou em nada, não é uma leitura tediosa mas também não é boa. A narrativa é confusa em muito momentos.

"A capacidade de um novo amor eu incinerei. Eu a lavei com ácido até que o solo se tornasse improdutivo e que dele nada brotasse, nenhuma flor brotasse raízes."
                                                                                                                          (Jorg, Pág 104)

Não recomendo o livro, ele tem alguns pontos fortes, como o ambiente medieval meio futurista, com elementos fantásticos, mas que não foram bem aproveitados. 

O livro é bem sangrento e pesado, então se você tem estomago fraco melhor ficar longe dessa leitura.

Por outro lado a edição da DarkSide está primorosa, simplesmente linda, a capa é realmente o que o livro é um garoto com uma espada matando gente.


Espero que o autor saiba guiar melhor esse enredo nos próximos livros. Ainda não sei se irei continuar de a ler a trilogia, provavelmente não. Em suma fiquei muito desapontada com esse livro.